Muito bem você passou no terceiro desafio e como combinado darei informações que levará até Arquimedes. No topo do morro atrás de um paredão de árvores no meio delas existe uma árvore que está cortada, passe por ela e lá encontrar a casa de Arquimedes. Boa sorte!.
Então, feliz por passar pelos desafios, Helmat segue em direção ao topo para encontrar Arquimedes, a subida é longa e poderá demorar algumas horas se errar o caminho.
Andou, andou e andou e finalmente encontrou a passagem que da acesso a casa de Arquimedes, eufórico como estava foi logo ao seu encontro e o encontrou fazendo o que mais gostava, estudando. Foi aproximando-se devagar até que o “gênio” o viu e perguntou:
Arquimedes: O que desejas aki?
Helmat: Oh! Que prazer em conhecê-lo. Estou aqui em missão de paz e vim aqui para leva-lo comigo, pois meu senhor precisa de você para ajuda-lo a vencê-lo a guerra.
Arquimedes: Infelizmente não posso ajudá-lo, pois minhas invenções não tem a finalidade de destruir os outros.
Helmat, vendo que Arquimedes não iria com ele para sua província, puxou sua espada e começou a duelar com Arquimedes.
Arquimedes não queria chegar a esse ponto, mas viu que não teria outro jeito a não ser duelar. Então, começaram o duelo só os dois sem intervenção de ninguém, já que Arquimedes fica sozinho estudando. Por um descuido Helmat conseguiu golpear Arquimedes que logo veio a morrer.
Só restou ao mensageiro do rei voltar sem o genioso matemático.
De volta a sua província o rei pergunta sobre Arquimedes, e logo responde: - Senhor ele não queira vim então duelei com ele e acabei matando-o.
A guerra já estava nos momentos finais, pois o rei vendo a derrota de perto, matou seu mensageiro e se entregou pedindo o fim da guerra.